Buscar
  • dragisele

Você tem problemas intestinais? Se sim, é melhor dar uma olhadinha neste post


Alterações gastrointestinais como distensão, dor, flatulência excessiva, diarreia e constipação são sintomas muito frequentes e, infelizmente, muitas vezes mal interpretados como intolerância ao glúten ou “alergias” alimentares.


O que pouca gente sabe é que muitos destes sintomas estão frequentemente relacionados com a má digestão de certos alimentos. Falo dos chamados FODMAPs (Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides e Polyols), carboidratos mal absorvidos pelo corpo que podem ser fermentados por bactérias do intestino quando consumidos em excesso, trazendo como consequência uma série de desconfortos intestinais.


Alimentos ricos em FODMPAPs


Os FODMAPs incluem alimentos que tenham uma relação de frutose maior que glicose (mel, maçãs, peras, manga, melancia), frutanos (trigo, centeio, cebola, alho), lactose (leite e derivados), galactanos (repolho, feijão, lentilha) e polióis (ameixa, cogumelos e adoçantes artificiais).


E tem mais:


  • Frutas: pêssego, nectarina, cereja, abacate, frutas secas e sucos naturais destas frutas;


  • Hortaliças/Leguminosas: alcachofra, aspargo, beterraba, brócolis, couve, alho-poro, quiabo, couve-flor, ervilha, grão de bico, cogumelos, ervilha;


  • Cereais: pães, bolos, biscoitos ou cereais contendo trigo e centeio e cereais com xarope de milho;


  • Bebidas: o refrigerante deve ser evitado sempre, em todas as dietas, inclusive nessa. O café não contém FODMAPs, mas a cafeína é estimulante do peristaltismo intestinal e pode causar sintomas intestinais em algumas pessoas.


Como a dieta é feita


Para identificarmos qual alimento rico em FODMAP é o responsável pelos desconfortos de cada paciente, recorremos ao método de exclusão. Geralmente, esses alimentos são excluídos em grupos, mas também podem ser retirados da dieta de um em um.


De seis a oito semanas depois, a dieta de exclusão é interrompida e os alimentos ricos em FODMAPs são reintroduzidos na alimentação aos poucos, para avaliarmos a tolerância individualizada.


Importante!


Vocês percebem que essa dieta exclui vários alimentos ricos em nutrientes, certo? Por isso, todo o processo deve ser acompanhado de perto por um profissional especializado. É fundamental que haja uma compensação nutricional para que a dieta não cause nenhuma complicação, desequilíbrio alimentar ou deficiência nutricional.


Além disso, é importante ressaltar que pessoas saudáveis não têm qualquer benefício com essa restrição! Aliás, pelo contrário, já que os oligossacarídeos têm ação prebiótica e estimulam o crescimento de uma flora intestinal adequada.


Portanto, nada de se arriscar! Se precisar de ajuda, marque um horário e vamos conversar! Ligue (31) 3646-0416 ou chame no WhatsApp no (31) 99780-1872.


20 visualizações0 comentário