Buscar
  • dragisele

Trabalhar à noite pode elevar o risco de ter diabetes e a obesidade



Você é daqueles que troca o dia pela noite, imerso em trabalhos noturnos? Se a resposta for "sim", saiba que esse hábito pode elevar o risco de diabetes e obesidade. Foi o que apontou uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo (USP).


Neste texto, vou falar sobre esta e outras pesquisas que associam o trabalho noturno à doenças. É preciso ficar atento!


Hábito noturno e os riscos à saúde


Algumas profissões exigem que o profissional troque o dia pela noite. Esse é o caso de médicos, enfermeiros, socorristas e motoristas, por exemplo. Trabalhadores de outras profissões, mesmo não necessitando dessa troca, optam por ela, especialmente, neste momento em que o home office se tornou uma prática tão comum.


Há ainda quem prefira trabalhar à noite pelo simples fato de ter insônia. Afinal, ocupar a cabeça com o trabalho pode ser a solução encontrada por muita gente.


O fato é que dormir bem durante a noite contribui positivamente para a saúde física e mental, prevenindo doenças e proporcionando uma melhor qualidade de vida. E a pesquisa realizada pela FMRP mostrou exatamente isso. Segundo os pesquisadores, virar a noite trabalhando provoca o desalinhamento do ritmo biológico dos seres humanos, impactando negativamente no metabolismo e aumentando o risco de diabetes e obesidade, por exemplo.


A pesquisa acompanhou a rotina de 20 trabalhadores diurnos e 20 trabalhadores noturnos. Todos submetidos a uma jornada de 12 horas de trabalho por 36 horas de descanso há pelo menos cinco anos em um hospital de Ribeirão Preto.


De acordo com os resultados, o trabalho noturno pode alterar a resposta fisiológica ao estresse oxidativo. Isso significa que trocar o dia pela noite "pode modificar as reações fisiológicas responsáveis pela proteção contra agentes oxidantes, provocando, assim, efeitos danosos ao corpo humano, como por exemplo o envelhecimento precoce".


Além disso, os pesquisadores explicaram que o hábito de trabalhar durante a noite pode alterar os níveis de glicose, triglicerídeos, circunferência da cintura e pressão arterial. Isso comparando os profissionais diurnos e noturnos do hospital.


Noites sem dormir podem causar Alzheimer


Ficar sem dormir tem vários riscos para a saúde, como hipertensão, diabetes, obesidade e até Alzheimer. Uma pesquisa publicada em 2018 no periódico Proceedings Of The National Academy Of Sciences descobriu um possível motivo para essa associação entre a falta de sono e a demência.


Os pesquisadores examinaram 20 pessoas saudáveis entre 22 e 72 anos de idade. Ao analisarem os efeitos da privação de sono nelas, os estudos apontaram que quanto menos as pessoas dormiam, maior era o acúmulo de beta-amiloide no cérebro.


A quantidade elevada dessas proteínas leva a uma quebra nas funções normais do órgão, uma das principais características da doença.


Hábitos saudáveis no combate da insônia


Para aqueles que adotaram o hábito de trabalhar durante a noite por causa da insônia, existem diversos tratamentos para resolver o problema. Manter uma dieta saudável e leve, especialmente no período noturno, e ter uma rotina de exercícios físicos regulares são fundamentais para ter uma boa noite de sono.


Além disso, os minutos antes de se deitar são muito importantes e, por isso, uma boa dica é se desconectar de aparelhos eletrônicos e ter um ambiente adequado para dormir.


Alguns alimentos ajudam a melhorar o sono, como aqueles que são ricos em melatonina, hormônio importante para estimular o repouso. Vale lembrar que o consumo de chás também ajuda, mas é preciso apostar naqueles sem cafeína.


Quer mais dicas de alimentação para ajudar no seu sono? Entre em contato pelos telefones: (31) 3646-0416 ou (31) 99780-1872.


10 visualizações0 comentário