Buscar
  • dragisele

Série Hormônios e Obesidade: Tireoide



A famosa tireoide é uma glândula que fica na parte inferior do pescoço, logo abaixo do "gogó", e é responsável por produzir e lançar hormônios diretamente na corrente sanguínea, principalmente a tiroxina ou tetraiodotironina (T4) e a triiodotironina (T3). Esses hormônios agem em praticamente todos os órgãos e estimulam várias funções, como se fosse a gasolina do nosso corpo.


Algumas delas são o controle de batimentos cardíacos, pressão arterial, movimento involuntários dos órgãos para facilitar a digestão dos alimentos, temperatura corporal, crescimento de cabelos e unhas, hidratação da pele e desenvolvimento de ossos e músculos.


Por isso, quando há algum desajuste, problemas sérios começam a aparecer. E quando eu digo desajuste, me refiro à produção em quantidade insuficiente, que deixa o corpo mais lento, e à produção em excesso, que acelera demais o organismo.


Hipotireoidismo e aumento de peso


O hipotireoidismo é a disfunção mais comum da tireoide e acontece quando os hormônios T3 e T4 estão em níveis baixos, desacelerando o metabolismo e diminuindo a quantidade de calorias gastas. Então, sintomas como fadiga, desaceleração dos batimentos cardíacos, tristeza, pele seca, queda de cabelo, unhas quebradiças, intestino preso, dores articulares, memória fraca, falta de concentração e aumento no colesterol entram em cena.


E sim: essa deficiência também causa ganho de peso e inchaço. Mas tem um porém: esse aumento é discreto, geralmente de três a quatro quilos quando a doença não é tratada. Por isso, nem sempre as alterações na tireoide são responsáveis pela obesidade, e não podemos confundir ganho de gordura com ganho de peso. Nesse caso, o peso a mais decorre eminentemente do acúmulo de líquidos no corpo.


Como eu disse, é verdade que o problema diminui o metabolismo, que fica mais lento e deixa o corpo com menos energia, o que colabora para o ganho de peso. Mas, se ainda assim o paciente mantiver uma dieta equilibrada e não deixar de praticar exercícios físicos, não terá problemas graves com o peso. Tanto que a obesidade está associada ao diagnóstico de hipotireoidismo em menos de 5% dos casos.


Hipertiroidismo


De forma inversa ao hipotireoidismo, o excesso de hormônio tiroidiano já pode levar à perda de peso acentuada e sem intenção.


Nesse caso, há uma hiperatividade dos processos fisiológicos e o organismo acelera com tudo: o coração dispara (geralmente, acima de 100 batimentos por minuto), o intestino solta e a pessoa fica agitada, dorme pouco e se sente muito acelerada, ao mesmo tempo que muito cansada (esgotada). Nervosismo, mãos trêmulas e sudoreicas e ondas de calor repentinas também aparecem.


Como os sinais e sintomas são múltiplos e, às vezes vagos e discretos, o diagnóstico exige exames físicos e bioquímicos feitos por um médico, assim como o tratamento medicamentoso e a indicação da dieta correta. Mas isso é assunto para outro post... Então, fique de olho!


21 visualizações0 comentário