Buscar
  • dragisele

Seja uma super-heroína também para cuidar de você


Quem aí é mulher, mãe, profissional, se vira nos 30 e ainda arruma um tempinho para se cuidar? É tanta coisa para fazer em 24 horas que, muitas vezes, as mulheres se deixam de lado e negligenciam a própria saúde para dar conta de todas as outras funções.

Neste texto, vou compartilhar um pouco com vocês sobre os desafios das mulheres, especialmente minhas pacientes, que relatam a dificuldade de se cuidarem em meio a correria do dia a dia.

A rotina desgastante de múltiplas jornadas

Ao longo dos anos, diversos dados apontaram como a entrada da mulher no mercado de trabalho se tornou só mais uma tarefa em meio a tantas já exercidas. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), as mulheres trabalham cerca de 7,5 horas a mais do que os homens, por semana. Isso levando em consideração a jornada dupla de trabalho externo e doméstico.

Essa sobrecarga pode levar as mulheres a desenvolverem diversos problemas de saúde, como estresse, depressão, desgaste físico, além de doenças ligadas à má alimentação. Isso acontece porque a falta de tempo, muitas vezes, faz com que elas descuidem da boa nutrição, das atividades físicas e, até mesmo, dos momentos de descanso do corpo e da mente.

Outro ponto que merece destaque é a perda da autoestima que pode ocorrer devido às multitarefas diárias exercidas pelas mulheres. Afinal, a falta de tempo leva a uma falta de cuidados não só com a saúde, mas também com a estética, perda de vaidade, descontrole do peso, entre outros problemas.

Vale destacar que, estudos recentes, apontaram, ainda, que o estresse e a ansiedade cresceram entre as mulheres durante este momento de pandemia. Muitas delas passaram a trabalhar em formato home office, os filhos deixaram de frequentar as escolas e as jornadas se tornaram ainda mais difíceis.

A sobrecarga durante a pandemia

A pesquisa "Sem parar: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia", da Gênero e Número e da Sempreviva Organização Feminista, apontou que as multitarefas passaram a afetar ainda mais as mulheres durante este momento de pandemia da Covid-19. No caso das mulheres rurais, esse percentual alcança 62% das entrevistadas.

Nesta pesquisa, foram ouvidas 2.641 mulheres, de todas as regiões do Brasil, entre abril e maio de 2020. Cerca de 80% delas relataram que estão cuidando de familiares, 24% de amigos e 11% de vizinhos.

Em relação as atividades domésticas, como lavar, limpar e cozinhar, as mulheres pesquisadas disseram que as tarefas se intensificaram na pandemia. 23% das entrevistadas avaliaram que a participação de outras pessoas na divisão do trabalho doméstico diminuiu; 64% indicaram que a distribuição permaneceu a mesma e 13% consideram que essa participação aumentou.

Vale destacar que as questões sociais e a falta de igualdade de gênero intensificam essa “obrigação” das mulheres de assumir funções em excesso. É preciso desmistificar essa ideia de que as mulheres têm mais responsabilidades quando o assunto é o cuidado com o lar e com a família. A divisão igualitária entre todos da casa é muito importante, especialmente para que as mulheres tenham mais tempo para se cuidar.

Procure ajuda para o corpo e para a mente

Como já citei, a sobrecarga na vida das mulheres, muitas vezes, leva a um quadro patológico. Nesse contexto, a busca por ajuda médica é muito importante. Quando uma paciente chega ao meu consultório, eu faço uma escuta geral. Gosto de ouvir e entender todos os pontos da vida dela para que eu consiga ajudar não apenas com uma melhora na qualidade da saúde do corpo, mas também da saúde psicológica.

Muitas vezes, minhas pacientes vêm até mim com questões ligadas a sobrecarga emocional, como estresse ou depressão. Nesses casos, além de orientá-las sobre a importância da alimentação saudável, prática de exercícios e dietas personalizadas, eu também as encaminho para outros profissionais da saúde que possam ajudá-las, como psicólogos e psiquiatras, por exemplo. É importante que essas mulheres entendam que elas não estão sozinhas!

Se você se identificou com este texto, e quiser conversar mais sobre o assunto, me mande uma mensagem ou entre em contato pelos telefones: (31) 3646-0416 ou (31) 99780-1872.


13 visualizações0 comentário