Buscar
  • dragisele

Consumo de creatina ajuda idosos no ganho de massa magra e força muscular


Há anos, o consumo de creatina tem sido associado ao aumento da força muscular e de massa magra. A maioria das pesquisas envolvendo a creatina enfatizam o desempenho físico de atletas e o ganho de saúde. Entretanto, recentemente, estudos apontam que há um grupo de pessoas que também podem aproveitar os benefícios dessa substância: os idosos.


A creatina é uma molécula construída de aminoácidos, ligada à regeneração das moléculas que fornecem energia às células. O corpo humano produz aproximadamente um grama de creatina por dia. Porém, precisa de uma quantidade mínima diária que varia de um e três gramas da substância para manter seu pleno funcionamento. A produção da creatina no corpo ocorre predominantemente no fígado, nos rins e, em menor quantidade, no pâncreas. Já o restante da creatina que o corpo necessita pode ser obtida por meio do consumo dos alimentos-fontes: carnes, frango e peixes. Ou por meio da suplementação.


Com o processo natural de envelhecimento, reduz-se a prática de atividade física e a creatina muscular tende a diminuir, fator que compromete a densidade óssea e a resistência física do idoso.


A substância proteica é uma importante aliada na prevenção de sarcopenia, uma síndrome caracterizada pela perda progressiva da massa muscular. No cérebro, a creatina auxilia na melhora da função cognitiva por aumentar a concentração de fosfocreatina no órgão.

Entre alguns benefícios da creatina, podemos identificar:

  • Melhora o desempenho físico dos idosos nas atividades cotidianas;

  • Auxilia na formação de ossos e cartilagem;

  • Acelera o processo de reabilitação após um período de imobilização;

  • Ajuda a redução da inflamação corporal;

  • Melhora o sistema imunológico e protege as células.

Quando associada à prática de exercícios, a suplementação com creatina fortalece a resistência muscular, proporciona bem-estar e qualidade de vida aos idosos. Por ser considerada um suplemento universal, a creatina pode ser consumida pela maioria das pessoas. Porém, é fundamental buscar orientação profissional antes de iniciar a suplementação.


12 visualizações0 comentário