Buscar
  • dragisele

Consumo de álcool pode elevar o risco de hipertensão


Não é mito: o álcool realmente prejudica o controle da pressão arterial, e essa relação está ligada à quantidade ingerida: o consumo excessivo é um dos principais fatores de risco para desenvolver ou agravar a hipertensão.


Essa ligação é tão próxima que há evidências de que o consumo de álcool pode reduzir o efeito de medicamentos que tratam a doença.


E para pessoas que já têm outras doenças, como diabetes, por exemplo, esse controle é algo vital. Como muitas pesquisas já mostraram que o consumo excessivo de álcool está relacionado à pressão alta, vários pesquisadores têm explorado a relação entre os níveis de ingestão e hipertensão em pacientes diabéticos. A conclusão tem sido a mesma: quanto menor o consumo, menor o risco.


Uma prova disso é um trabalho da Wake Forest University School of Medicine da Carolina do Norte, EUA, que analisou dados de 10.200 participantes com 40 anos ou mais e que tinham diabetes tipo 2 e risco cardiovascular elevado.


Os pesquisadores mediram a pressão arterial dos pacientes no início do estudo e coletaram informações sobre a ingestão semanal de álcool deles. Então, todos foram categorizados de acordo com o seu nível de consumo: sem bebidas (55% homens com idade média de 63 anos), leve - 1 a 7 bebidas (78% homens com idade média de 63 anos), moderada - 8 a 14 bebidas (100% homens com idade média de 63 anos) ou pesado - 15 ou mais bebidas (100% homens com idade média de 63 anos).


A PA foi categorizada como normal, elevada, hipertensão estágio 1 e hipertensão estágio 2, de acordo com as definições das diretrizes de hipertensão da American Heart Association / American College of Cardiology de 2017.


Os resultados foram os seguintes:


O consumo leve de álcool (1 a 7 bebidas por semana) não foi relacionado a nenhum grau de hipertensão. Já o consumo moderado (8 a 14 bebidas) foi associado a PA elevada, de estágio 1 e de estágio 2, assim como o consumo alto (15 ou mais bebidas), que, obviamente, registrou uma associação de maior grau. O estudo foi publicado no Journal of the American Heart Association.

Ainda precisamos de mais pesquisas para estabelecer a relação exata de causa e efeito entre essas duas coisas. Enquanto isso, fica a recomendação, tanto para pacientes diabéticos quanto para pessoas sem doenças: maneirar no álcool pode te livrar de muitos males, inclusive da hipertensão! Portanto, beba com moderação!


Atualmente, recomenda-se o limite de uma dose diária para mulheres e duas para homens, considerando como dose uma garrafa pequena (long neck) ou lata de cerveja, uma taça de vinho ou uma dose de 50 ml de bebida destilada.


Lembrando que a hipertensão arterial é uma doença crônica que, se não for prevenida e tratada, pode causar lesões em artérias e órgãos vitais como coração, cérebro e rins. Além disso, ela é uma doença silenciosa, que não costuma manifestar sintomas apesar da pressão estar elevada. Por isso, a Associação Americana de Cardiologia recomenda que pessoas com mais de 20 anos tenham sua pressão arterial aferida por um médico todos os anos.



21 visualizações0 comentário