Buscar
  • dragisele

Como 7 mil passos diários podem te ajudar a ter uma vida saudável?

Que caminhar faz bem para a saúde, nós já sabemos. Mas, quantos passos exatamente precisamos dar para viver mais?

Até então, percorrer 10 mil passos por dia era apontado como a meta ideal a ser alcançada para permanecer saudável. Mas um novo estudo sugere que é possível dar menos passos diariamente e ainda assim obter benefícios parecidos. Para desmistificar o padrão de 10 mil passos, a Universidade de Massachusetts Amherst conduziu um estudo que relatou que homens e mulheres entre 38 e 50 anos que deram cerca de 7 mil passos por dia, apresentaram um risco 50 a 70% menor de morte prematura, em comparação aos participantes que andaram menos que essa quantidade diariamente.

Já os participantes que ultrapassaram a meta, isto é, superando os 10 mil passos, não apresentaram menos riscos de morte se comparados aos voluntários que andaram 7 mil passos.

Para concluir que 7 mil passos por dia podem ser o ideal para a saúde, pesquisadores usaram dados do estudo de Desenvolvimento de Risco de Artéria Coronária em Adultos Jovens (CARDIA), iniciado ainda em 1985.

Os pesquisadores analisaram 2.110 participantes que utilizaram um dispositivo acelerômetro para rastrear movimentos por dia, em 2005 ou 2006. Eles foram submetidos a exames presenciais no início do estudo, em intervalos de alguns anos e acompanhados por quase 11 anos depois disso. Os dados foram então analisados ​​em 2020 e 2021.

Para adultos de meia-idade, os pesquisadores recomendam um mínimo de 7 mil passos por dia. Para medir a contagem de passos, é possível utilizar um pedômetro (contador de passos), um relógio que possua a função ou até mesmo baixar aplicativos disponíveis para celular que prometem exercer a mesma função.

É comprovado cientificamente que pessoas ativas vivem mais que aquelas que raramente se movem: um estudo de 2018 dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, concluiu que cerca de 10% de todas as mortes entre americanos de 40 a 70 anos são resultados de pouco exercício. E um outro estudo europeu de 2019 descobriu que duas décadas de inatividade dobraram o risco de os noruegueses morrerem jovens.

Para a Organização da Saúde (OMS), é recomendável que os adultos façam atividade física de intensidade moderada por pelo menos 150 minutos por semana – ou de 75 a 150 minutos de atividade física intensa – quando não houver contraindicação. Os exercícios de baixa intensidade também podem melhorar a saúde. Isso sugere que os passos dados ao longo do dia podem contribuir para atingir a meta de 150 minutos de atividade semanal.

Se você pretende aumentar o número de passos que dá diariamente ou apenas quer se mover mais, algumas etapas simples podem facilitar o processo, tais como: caminhar até o trabalho, subir as escadas em vez de usar o elevador, dar uma caminhada no parque mais próximo de sua casa ou, se estiver trabalhando em casa, pode participar de um programa de exercícios online.

A regularidade dos exercícios pode ser mais importante do que a intensidade para uma pessoa viver de uma forma saudável e mais tempo. Vamos juntos?


11 visualizações0 comentário